Políticas de incentivo para produção de biodiesel devem continuar

Políticas de incentivo para produção de biodiesel devem continuar. A emissão de gases poluentes na atmosfera tem impulsionado vários países a encontrar novas fontes de energia alternativas, uma delas é o biodiesel.

As políticas de incentivo para produção de biodiesel são prioridade para países em todo mundo

Políticas de incentivo para produção de biodiesel devem continuar

"Desde o século XIX, a principal fonte de energia está alicerçada nos combustíveis fósseis. Entretanto, a sua concentração em poucas e conturbadas regiões do planeta, a tendência ao esgotamento e a emissão de gases poluentes na atmosfera têm impulsionado vários países a encontrar novas fontes de energia alternativas", afirma Paulo Anselmo Ziani Suarez, professor do Curso a Distância CPT Produção de Biodiesel na Fazenda, disponível nos formatos em Livro+DVD e Online.

Atualmente, dirigentes políticos e representantes de entidades ambientalistas e humanitárias em todo mundo têm fomentado políticas de incentivo para a redução da emissão dos gases poluentes, responsáveis pelo efeito estufa. Para isso, têm sido realizadas inúmeras pesquisas no campo dos combustíveis alternativos a partir de óleos vegetais e gorduras animais.

Outra promissora fonte de energia limpa (energia verde) é a biomassa de vegetais. Mas também têm sido feitos estudos para o aproveitamento de resíduos de frituras residenciais e de restaurantes, ou ainda de materiais gerados do refino de óleos e gorduras. Tudo para garantir benefícios econômicos e sociais para a população, assim como o fim da dependência de derivados do petróleo.

Embora a produção de combustíveis alternativos seja uma linha de pensamento mundial, muitos governantes e empresários não comungam dos mesmos ideais. Isso vale para o presidente norte-americano eleito recentemente. A sua candidatura ao governo dos Estados Unidos pode reduzir as políticas de incentivo para produção de biodiesel.

De fato, o polêmico governante tem causado controvérsias em vários aspectos políticos e econômicos. Entretanto, de acordo com Elizabeth Farina, presidente da Única - União da Indústria de Cana-de-açúcar, será praticamente impossível um retrocesso nesse sentido, pois a agenda ambiental de biocombustíveis é uma prioridade global.

No Brasil, o Unica Fórum 2016, realizado em São Paulo, reuniu representantes e líderes renomados para abordar importantes aspectos que envolvem o futuro do setor sucroenergético do país. Além do Brasil, países em todo mundo têm realizado congressos, simpósios, fóruns e vários eventos que envolvem fontes de energia alternativas.

Fontes: Revista Globo Rural e Cursos CPT.

Andréa Oliveira 21-02-2017 Biodiesel

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.