Produção caseira de fécula de mandioca

Produção caseira de fécula de mandioca. Nas pequenas propriedades rurais, é comum produzir fécula de mandioca para uso familiar e venda do excedente.

Nas pequenas propriedades rurais, é comum produzir fécula de mandioca para uso familiar e venda do excedente

Produção caseira de fécula de mandioca

Segundo Marney Pascoli Cereda, professora do Curso a Distância CPT Processamento de Mandioca - Polvilho Azedo, Fécula, Farinha e Raspa, disponível nos formatos em Livro+DVD e Online, a legislação brasileira diferencia amido de fécula.  A substância amilácea encontrada em grãos (milho) é chamada amido. Já a encontrada em raízes (mandioca) chama-se fécula. Além disso, o amido e a fécula apresentam o padrão de cozimento diferente, o que determina mercados diferenciados para ambos.

Para virar um produto amiláceo, a fécula de mandioca passa por alguns processos simples, como ocorre com a farinha. Mas as exigências de padrão da fécula são distintas dos demais produtos extraídos da mandioca. Ela deve apresentar odor agradável, sem qualquer resquício de ácido, mofo, terra e/ou ranço. O produto final também não pode apresentar pontinhos escuros nem pedaços de casca - muito menos, resíduos estranhos. Caso contrário, a fécula é imprópria para comercialização e consumo.

Nas pequenas propriedades rurais, é comum produzir fécula de mandioca para uso familiar e venda do excedente. O mercado nacional tem boa saída para o produto - o que não ocorre com o mercado externo. Normalmente, a produção de fécula é em pequena escala ou caseira. Mas isso não quer dizer que a produção em maior escala não ocorra - ela só acontece em menor proporção.

Como a fécula é obtida

O processo começa com a lavagem das raízes após a moagem. Em seguida, a água da lavagem passa pelo processo de decantação, o que separa a fécula das fibras da mandioca e sujidades. Por fim, a fécula passa pela etapa de secagem. É importante destacar que a fécula pode ser obtida de três processos a saber: rudimentar ou caseiro, industrial de pequena capacidade e industrial de grande vulto. Mas todos consideram a propriedade a insolubilidade do amido em água fria e sua facilidade de decantação.

Produção caseira de fécula de mandioca

Assim que as raízes são retiradas da terra, elas são lavadas em água corrente. Depois, elas são energicamente escovadas, para serem raladas (forma manual ou mecânica). A massa obtida é submersa em água. Em seguida, ela é lavada em peneira fina (taquara), inúmeras vezes, até que a água não saia mais leitosa.  O que resulta da coagem é levado para cochos de madeira para decantação.

Quando o líquido da parte superior tiver translúcido, ele passa pelo processo de drenagem. Em seguida, o amido resultante é raspado e lavado novamente. Depois, o material é agitado e coado em peneiras de textura mais grossa. Por fim, o amido decanta novamente. Trata-se de um processo conhecido como recoa, que tem a função de eliminar todas as fibras e impurezas da fécula.

Ao fim do processo, no fundo do recipiente, forma-se um bloco de amido bem fino, que é quebrado e esfarelado. Depois, ele é levado para secagem em pano de algodão. Após o processo, a fécula é socada para passar por peneiras. O acondicionamento do produto deve ser feito em sacos de algodão.

Fontes: Cursos CPT e Wikipédia.

Andréa Oliveira 15-02-2017 Agroindústrias

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.