Centro de Produções Técnicas


Técnicas reduzem custos em lavouras de cana

As técnicas MPB e MEIOSI nas lavouras de cana reduzem os custos em até 38%

Técnicas reduzem custos em lavouras de cana

“No Brasil, a cana-de-açúcar constitui uma cultura tradicional, com alta produção por unidade de área. Por ser uma cultura de implantação e manejo simples, exige poucos tratos culturais”, afirma Luiz Antônio de Bastos Andrade, professor do Curso a Distância CPT Cultivo de Cana-de-açúcar para Produção de Cachaça em Livro+DVD e Online. Entretanto, é importante minimizar os custos com produção de cana para alcançar boa lucratividade.

Atualmente, há um método utilizado para replantio de cana-de-açúcar que exige um grande número de máquinas e equipamentos. De outra forma, torna-se difícil realizar o transporte e replantio da cana em áreas que precisam de reforma. Entretanto, a mecanização torna os custos de produção muito altos, em especial para pequenos e médios agricultores. Além disso, o atrito das máquinas reduz o índice de brotação das mudas de cana.

Consequentemente, os produtores passam a usar várias mudas de cana por hectare, o que encarece ainda mais toda a operação. Sem falar que o replantio de cana foi reduzido drasticamente devido a problemas financeiros de agricultores e usinas pela crise da cana nos últimos anos. Felizmente, todas essas dificuldades resultaram em novas técnicas de replantio, que reduzem os custos nas lavouras de cana em até 36%.

Na técnica MPB (MUDAS PRÉ-BROTADAS), os agricultores preparam o solo para o plantio de linhas de mudas pré-brotadas. O procedimento é realizado em setembro e outubro, ao término da colheita de cana, em áreas a serem reformadas. O espaçamento recomendado é de 15 metros (entre as linhas) e 60 centímetros (entre plantas). É importante destacar que as mudas serão usadas para replantar toda a área e o que sobra do terreno recebe amendoim e soja.

A técnica tem sido adotada por cooperados da Coplana, sob assistência técnica da IAC – Instituto Agronômico de Campinas. Um dos agricultores, Rogério Bonaccorsi, começou a produzir as próprias mudas pré-brotadas em áreas de MEIOSI (Método Inter-rotacional Ocorrendo Simultaneamente) com cana-de-açúcar e amendoim – este retém a umidade no solo, o que evita a erosão. Outra vantagem do método é a interrupção do ciclo doenças e pragas da cana – principalmente nematoides,

Para implantar as técnicas MPB e MEIOSI nas lavouras de cana, o investimento é de R$ 4,8 mil por hectare (em média) – contando os custos com mão de obra, insumos e mudas pré-brotadas. No replantio convencional, o investimento chega a R$ 7,5 mil por hectare. De fato, a diferença é bastante considerável, tendo em vista os excelentes resultados, que garantem maior sustentabilidade à produção de cana.

Fonte: g1.globo.com

Conheça os Cursos a Distância CPT, constituídos de Livro+DVD, e Cursos Online, da Área Agroindústria.

Deixe Um Comentário

Marque a caixa abaixo para validar seu comentário