Empresa inova com defumados e embutidos de carne ovina

Empresa inova com defumados e embutidos de carne ovina. Foi criado todo tipo de produto, como bacon, copa, mortadela, presunto defumado e cozido, até mesmo hambúrguer.

Após pesquisas, finalmente a Embrapa Pecuária Sul (RS) alcançou o que desejava: criou produtos defumados e embutidos com carne dos mais diversos ovinos

Empresa inova com defumados e embutidos de carne ovina

Empresa inova com defumados e embutidos de carne ovina - ovelha, carneiro, cordeiro e borrego. A ideia surgiu da necessidade de entrar no mercado com um produto novo, diferente dos feitos apenas com carne de cordeiro, já comercializados há algum tempo no país.

Tudo começou com o Projeto Aproveitamento Integral de Carne Ovina (Aprovinos), desenvolvido pela Embrapa, para buscar meios de fazer chegar ao mercado brasileiro novas opções de consumo de carne de ovinos.

Entretanto, foram necessários três anos de pesquisas até que a Embrapa Pecuária Sul (RS) - fomentadora do projeto - atingisse o planejado: elaboração de defumados e embutidos com carne dos mais diversos ovinos.

Com matéria-prima mais barata, mas primando pelos cuidados sanitários e de higienização, foi criado todo tipo de produto com carne de ovinos, como bacon, copa, mortadela, presunto defumado e cozido, até mesmo hambúrguer. Todos com a mais saborosa e tenra carne ovina.

Embora os produtos sejam elaborados com categorias de ovinos com baixo valor comercial, a carne mantém boa qualidade nutricional. Antes só eram fabricados produtos com carne de cordeiro, ovino com menos de um ano de idade.

Por isso, os pesquisadores da Embrapa do RS pensaram no aproveitamento de ovinos de corte com pouco apelo comercial, como ovelhas e carneiros mais velhos, mas com carne nutritiva para fazer embutidos e defumados.

De acordo com dados recentes da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco), o Brasil tem potencial para o mercado de carne ovina. Atualmente, o consumo per capita gira em torno de 400 gramas por ano e vem crescendo de forma bastante significativa. Portanto, o mercado nacional para esse tipo de carne tem muito a crescer.

Por Andréa Oliveira.

Fonte: Canal Rural.

Andréa Oliveira 31-03-2016 Processamento de Carne

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.