Centro de Produções Técnicas


Fontes energia alternativa não convencionais

Há fontes de energia alternativa não convencionais, conhecidas como tecnologias passivas – ativadas de forma involuntária

Fontes energia alternativa não convencionais

Atualmente o mundo não fala outra coisa a não ser sobre energia sustentável. Energia eólica (ventos), energia solar (sol), energia hídrica (água), todas são bastante famosas na mídia. Entretanto, há fontes de energia alternativa não convencionais, conhecidas como tecnologias passivas – ativadas de forma involuntária. Dentre elas, temos a energia produzida em crematórios, ou mesmo com lixos urbanos e com o movimento (cinética).

Energia de crematórios

Na Suécia, a ideia de aproveitar energia produzida em crematórios passou a ser realidade há cinco anos. Tudo começou na cidadezinha de Halmstad. Lá o calor gerado na cremação de corpos pode ser reciclado e transformado em energia. Segundo John Troyer, vice-diretor do Centro para Morte e Sociedade da Universidade de Bath (Reino Unido), a energia gerada vem do gás – e não do corpo cremado, em um processo chamado de captura de calor.

No condado inglês de Worcestershire, a energia do crematório local é utilizada para o aquecimento de uma piscina pública. Tamanho foi o sucesso do projeto que ele foi agraciado com o Prêmio Green Apple de Práticas Ambientais antes mesmo de sair da planta. Até mesmo na Austrália, alguns escritórios são iluminados com energia gerada em crematórios. Entretanto, há muitas controvérsias a respeito.

Alguns países consideram a prática um desrespeito aos mortos. Inclusive o Código de Ética da Federação Internacional de Cremação, instituído em 1937, determina que os resíduos oriundos de cremações de corpos não devem ser aproveitados se o objetivo for comercial.

Energia de lixos urbanos

Utilizada na Noruega e no Uruguai, a energia gerada de lixos urbanos mostra excelentes resultados tanto econômicos como ambientais. De acordo com a Divisão de Engenharia Sanitária e Ambiental do Município de Maldonado (Uruguai), podem ser produzidos 1,5 mil megawatts/hora anualmente. É importante destacar que os impactos ambientais são reduzidos com o tratamento das emissões gasosas e líquidas, transformadas em energia reciclável.

Na região entre Ruanda e a República Democrática do Congo (África), foi implantada uma usina de energia alternativa. O projeto da empresa americana Contour Global utiliza o gás metano para a geração de energia. Com isso, o governo de Ruanda pode garantir à população maior acesso à eletricidade.

Energia do movimento (cinética)

Na Suécia, na Estação Central de Estocolmo, a energia cinética gerada por 250 mil pedestres libera calor, que é aproveitado no sistema de calefação da estação. O calor capturado é utilizado no aquecimento da água, o que proporciona uma economia de até 25% de energia. Já no Japão e na Holanda, algumas boates geram energia elétrica obtida do movimento do público nas pistas de dança.

Nos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres, a empresa britânica Pavegen usou tecnologia, que possibilitava a geração de energia a cada passo dos pedestres na calçada. No futuro próximo, espera-se que os sinais de trânsito e painéis publicitários sejam alimentados com energia cinética.

Fonte: BBC Brasil.

Confira os Cursos a Distância CPT, em Livros+DVDs ou Online, da Área Meio Ambiente.


Deixe Um Comentário

Marque a caixa abaixo para validar seu comentário