Centro de Produções Técnicas


Regularização de produtores de queijo minas artesanal

A simplificação da regularização de produtores de queijo minas artesanal veio para incentivar a formalização dos pequenos fabricantes

Regularização de produtores de queijo minas artesanalA simplificação da regularização de produtores de queijo minas artesanal veio para incentivar a formalização dos pequenos fabricantes, garantir aos consumidores a qualidade dos produtos e aumentar a renda da agricultura familiar. Há tempos, a Emater-MG, a Epamig e o IMA vêm orientando produtores mineiros sobre fabricação de queijos, boas práticas de ordenha e instalação de queijarias.

Atualmente, “instalar uma queijaria é um bom negócio, pois o mercado consumidor de queijos está consolidado e em constante ampliação. Entretanto, para obter sucesso nesse empreendimento, é preciso formalizar a atividade, além de primar pela qualidade do produto”, afirma Juliano Gomide Souza, professor do Curso a Distância CPT Instalação de Queijaria e Controle de Qualidade em Livro+DVD e Online.

Para a obtenção do registro para produção do queijo minas artesanal, serão avaliados cinco critérios, a saber:

1. Sanidade do rebanho leiteiro;
2. Saúde dos trabalhadores;
3. Análise da qualidade da água;
4. Boas práticas de fabricação;
5. Análise do produto final (queijo minas artesanal).

Segundo Alexandre Honorato, fabricante de queijo minas artesanal há mais de 30 anos, uma das maiores dificuldades enfrentadas por ele é concorrer, páreo a páreo, com produtores informais. Estes não apresentam registro nem legalização e jogam os preços dos queijos bem abaixo do valor de mercado. “Isso torna a concorrência desleal, pois a diferença de preços pode chegar a 50%”, completa Honorato.

Com uma boa parceria entre produtores de queijo e órgãos do estado, novas oportunidades de negócio poderão surgir. Por meio da assistência de especialistas, os fabricantes terão acesso a todas as informações sobre a legalização da fábrica, além da obtenção do selo que comprovará a qualidade do produto para comercialização. Na verdade, “os produtores também terão conhecimento sobre outros aspectos, como microbiologia”, afirma Flávio Henrique Silveira, gerente regional do Senar-MG.

Além de informações sobre os perigos dos microrganismos no processo de fabricação de queijos, os treinamentos abordam questões, como armazenamento, transporte, saúde do gado de leite, saúde do manipulador de alimentos – enfim, todos os fatores essenciais à produção de alimentos. Assim, o futuro fabricante de queijo formalizado passará a conhecer desde a cadeia produtiva de queijos até os processos para legalização.

Fonte: canalrural.com.br

Conheça os Cursos a Distância CPT, constituídos de Livro+DVD, e Cursos Online, da Área Laticínios.

Deixe Um Comentário

Marque a caixa abaixo para validar seu comentário