Como fazer conserva de pimenta-dedo-de-moça

Como fazer conserva de pimenta-dedo-de-moça. Saborosa, aromática e nutritiva, ela também é utilizada como condimento nos mais diversos pratos com peixes, aves e carnes de boi e de porco

Saborosa, aromática e nutritiva, a pimenta-dedo-de-moça é utilizada como condimento nos mais diversos pratos com peixes, aves, carne suína ou bovina

Como fazer conserva de pimenta-dedo-de-moça

Uma das pimentas mais consumidas pelos brasileiros, especialmente em conserva, é a pimenta dedo-de-moça (Capsicum baccatum) - alongada e cor vermelha intensa. Com sabor mais suave que a malagueta, a “dedo-de-moça” pode ser consumida “in natura” ou ainda passar pelo processamento. Assim que é beneficiada, ela pode ser comercializada como molhos, flocos desidratados (conhecida como pimenta calabresa) e em conservas.

Segundo Roseane Mendonça de Figueiredo, professora especialista do Curso CPT Produção e Processamento de Pimenta, a pimenta-dedo-de-moça contém vitaminas A, C e do Complexo B, assim como minerais - Magnésio e Ferro. Dentre seus inúmeros benefícios, ela possui efeito emagrecedor, pois acelera o metabolismo. Portanto, o seu consumo moderado pode ser benéfico ao organismo humano.

Saborosa, aromática e nutritiva, a Capsicum baccatum é utilizada como condimento nos mais diversos pratos com peixes, aves, carne suína ou bovina. Mas não há nada mais peculiar do que pimenta-dedo-de-moça em conserva, pois ela ganha o sabor do alho, do louro, do orégano e de outras ervas aromáticas.

Que tal aprender a fazer em casa a conserva de pimenta-dedo-de-moça?

Primeiramente, para que a conserva não estrague, o manipulador deve usar avental, touca e luvas. Se essas medidas não forem adotadas, durante o processo de manipulação, poderá ocorrer a contaminação do produto final.

Da mesma forma, os cuidados com a esterilização dos frascos e das tampas impedem a proliferação de microrganismos, que podem fermentar a conserva e torná-la imprópria para o consumo. Previamente, verifique se há frascos com rachaduras, tampas enferrujadas e/ou borracha de vedação da tampa danificada. Caso afirmativo, descarte frasco e tampa.

É de fundamental importância que a água esteja borbulhando ao colocar os frascos para serem esterilizados. Para que um frasco não se choque com o outro, coloque um pano de prato limpo no fundo da panela. Serão necessários 15 minutos de fervura dos vidros, mais 15 de fervura das tampas, em um total de 30 minutos.

Enquanto os frascos e as tampas esfriam, lave as pimentas com água e detergente para retirar as sujidades do campo. Coloque-as de molho por 15 minutos em solução com água sanitária – 1 colher (sopa) para cada litro de água. Aproveite para retirar os talinhos das pimentas. Por fim, seque-as (com papel-toalha) até que não haja resquício de água.

Encha ¾ do frasco com vinagre, coloque as pimentas-dedo-de-moça, alguns dentes de alho, salpique orégano e, por fim, adicione uma pitada de sal e outra de açúcar. O sal e o açúcar têm a função de balancear o pH da salmoura e evitar a proliferação de microrganismos. Finalize com mais vinagre até completar o frasco.

Para retirar as bolhas que podem surgir na adição do vinagre, sacuda levemente o vidro até que sejam eliminadas. É imprescindível que não haja ar dentro da conserva. Caso contrário, ocorrerão a fermentação e a deterioração do produto.

A conserva fica pronta após 15 dias – momento em que as pimentas descem para o fundo do frasco. A durabilidade é de 1 ano quando lacrada. Assim que é aberta, o período de prateleira cai para dois a três meses na geladeira.

Por Andréa Oliveira.

Fontes: Globo Rural e Cursos CPT.

Andréa Oliveira 12-05-2016 Indústria Caseira

Deixe um Comentário

Comentários

Não há comentários para esta matéria.