Centro de Produções Técnicas


Conheça a verrugose, doença que ataca o limoeiro

A verrugose, doença que ataca o limoeiro, atinge o pico máximo de atividade quando a umidade relativa do ar está alta

Conheça a verrugose, doença que ataca o limoeiro

A verrugose, doença que ataca o limoeiro, é causada pelo fungo Cladosporium herbarum, o mesmo que atinge a soja, a ervilha e o maracujá. Geralmente, o patógeno age como saprófito nos tecidos de plantas doentes ou que passaram por estresse ambiental. Brasil, Estados Unidos e Arábia Saudita são as regiões com maior incidência da doença, comum em sementeiras, viveiros e pomares se houver condições favoráveis para que o fungo ataque.

Como constatar se o limoeiro apresenta verrugose?

Para constatar se o limoeiro apresenta verrugose, basta procurar manchas escuras nas hastes de plantas novas. No início do ataque, as manchas são pequenas, com formato irregular e coloração púrpura a negra. Assim que a doença fúngica toma maiores proporções, ocorrem ligeiras depressões na parte central das manchas, com ressecamento e coloração acinzentada.

O que ocorre quando a umidade é alta?

Quando a umidade relativa do ar está elevada, o Cladosporium herbarum lança esporos em grande quantidade – o que espalha a doença. Em casos mais graves, as manchas apresentam a parte central com coloração negra e aspecto aveludado. Isso ocorre graças à presença de conidióforos e conídios. Depois, as lesões se alongam e formam depressões na coloração marrom.

É importante ressaltar que, em alta umidade, o fungo apresenta o pico máximo de atividade. Com isso, as manchas tornam-se bem maiores e se aglutinam até contornarem a haste. Como resultado, ocorre necrose severa dos feixes vasculares, o que mata a planta.

Qual o melhor método de controle da doença?

Considerada de baixo impacto econômico (doença secundária), poucos estudos foram desenvolvidos em relação ao controle desse mal que ataca o limoeiro. Nem mesmo pesquisas sobre resistência/tolerância ao Cladosporium herbarum foram realizadas. Por isso, o melhor a fazer é o planejamento da semeadura para impedir que os estágios jovens da planta coincidam com a estação das chuvas.

Outra medida eficaz é adotar um espaçamento maior entre plantas para evitar alta umidade no pomar. Além disso, é importante que o fruticultor plante sementes sadias de fornecedores idôneos. Em alta umidade, é recomendada pulverização com fungicidas de proteção.

Para evitar o surgimento de cochonilhas, é fundamental adicionar óleo mineral emulsionável à calda fungicida (dosagem recomendada por engenheiro agrônomo). O produto não pode ser aplicado nos frutos desenvolvidos. Caso contrário, podem ocorrer sintomas fitotóxicos de mancha estrelada.

Fontes: Agrolink e Embrapa.

Conheça o Curso a Distância CPT Produção de Limão Taiti, disponível nos formatos em Livro+DVD e Online – elaborado por Dalmo Lopes de Siqueira,  Mestre em Fitotecnia, pela Universidade Federal de Lavras, e Doutor em Produção Vegetal pela Universidade Federal de Viçosa.


Deixe Um Comentário

Marque a caixa abaixo para validar seu comentário